Webdesign e Mídias Sociais ocupam centro das atenções no 2º dia do Fórum Global de Neuromarketing na Holanda

7 de Outubro de 2013

Categoria: Neuromarketing

imagem do texto webdesign e midias sociais

Webdesign e mídias sociais são temas do segundo dia do evento Neuro Retail Revolution 2013

Terminou nesta sexta-feira o Neuro Retail Revolution – fórum de neuromarketing global da NMSBA (http://www.nmsba.com/). O segundo dia do congresso foi dedicado ao shopper online, ou “browser” e o objetivo foi mostrar como transforma-lo em um comprador online.

A partir do uso de técnicas de eye-tracking e EEG em online shoppers, pesquisadores apresentaram estudos sobre o que funciona e o que não funciona no ambiente digital em termos de: webdesign; posicionamento e formato de web ads/banners; sugestões de itens adicionais; mídia social (em especial o impacto das sugestões de outras pessoas); integração multicanal com web; entre outros.
Os resultados de pesquisas científicas com shoppers online apontaram alguns fatos interessantes e confirmaram outros que já desconfiávamos, eis aqui alguns “quick wins”:

MÍDIAS SOCIAIS: o uso de recomendações ou sugestões pode aumentar as vendas em mais de 20% nos sites de e-commerce, e mais 10% se os fãs colocarem suas fotos. O artifício de dar brindes para que outros recomendem é uma técnica que aumenta a participação dos fãs online sem prejudicar a credibilidade.

ATENÇÃO VISUAL: Estudos confirmaram algumas técnicas de visibilidade que aumentam a atenção dos usuários a partir de elementos visuais e seus posicionamentos específicos no website, por exemplo: brilho em relação ao fundo, bordas diferentes, o local central da tela; itens que se sobrepõem; movimento; faces e locais para onde as faces estão olhando tem alto poder de atenção visual online.

PROMOÇÕES: Desde a foto dos produtos até o preço, existem aspectos que oferecem recompensa ao cérebro e aumentam a efetividade de ofertas no e-commerce. De fato a maior parte dos catálogos online poderiam ter melhor performance se:

a) ativassem a função “espelho” do cérebro. Essa função é aquela que nos diz que algo funciona por que outros estão fazendo o mesmo. Por exemplo, colocar fotos de pessoas felizes com o produto, reforço de mídias sociais, etc.
b) alinhassem as expectativas do shopper com a promessa do site e produto: faça uma promessa que mostre como os shoppers vão ganhar com a sua oferta.
c) justificassem seus descontos. Faça suas promoções ganharem credibilidade ao explicar por que está oferecendo o desconto naquele produto e momento,

PROPAGANDA ONLINE: o uso de equipamentos móveis para acessar a internet e para e-commerce está explodindo, nesse contexto, banners horizontais superiores são mais visíveis do que os laterais quando shoppers navegam com seus tablets. Esses banners também podem gerar mais engajamento, porém para isso é necessário ter um contexto relevante (assunto similar) – caso contrário – ele é visto e ignorado.

Encontramos no evento apenas uma brasileira, Eliana L. Coutinho, que é médica de um grande hospital de São Paulo. A doutora veio a Amsterdam apenas para o evento, nos disse que o campo da medicina aplicada aos negócios tem crescido no país e por isso se interessou sobre o tema. Como fonoaudióloga, ela já usa algumas técnicas da neurociência em diagnósticos médicos e comentou sobre a possibilidade de – no futuro – se estudar também as emoções sob a perspectiva da sua especialidade (fono). Ela irá falar mais sobre o segundo dia do evento para o blog “Na pele do shopper” em breve.

Para saber mais sobre o fórum acesse: http://www.neuroretailrevolution.com/en

Rafael D’Andrea (CEO The ToolBox Group) e Erika Amigo (Account Director – The ToolBox Group).