Euroshop versus NRF – Diferentes abordagens para os novos desafios do varejo

27 de Fevereiro de 2014

Categoria: Euroshop,Eventos,Trade Marketing

IMG_6384

EuroShop 2014 em Dusseldorf, Alemanha. Foto: Rafael D’Andrea

Como em todos os grandes eventos de varejo, a Euroshop 2014 foi marcada pelo papel da tecnologia no ambiente global. Ao longo dos seus 5 dias, a feira, que ocorre apenas a cada três anos, mostrou aos participantes as últimas novidades e os avanços que se seguiram depois da edição de 2011.

E não foram poucos avanços, de fato, a dúvida colocada nos EUA há 3 anos sobre o efeito showrooming e a integração “omnichannel” está começando a ser respondida na Europa, onde a abordagem para o varejo físico é muito mais experiencial, o que proporciona ao shopper diferenciação funcional e emocional na loja em relação ao e-commerce. Na Euroshop, a tecnologia serve ao atendimento ao cliente, seja embutida nos processos de ressuprimento, seja na movimentação de pessoas e cargas, nos meios de pagamentos e no check out ou no CRM.

Enquanto nos Estados Unidos a preocupação é com o Big Data, na Europa ouvi muito o termo “Big Analytics”, ou seja, não adianta coletar dados, se você não tem capacidade para analisá-los (em minha experiência como consultor já vi muitas empresas incapazes de lidar com pesquisas e painéis como os da Nielsen, da GFK ou da Toolbox, imagine essas empresas lidando com os dados de todos os seus consumidores em múltiplas plataformas? Seria inviável, no mínimo). Como a Euroshop traça um panorama de todo o varejo, do estoque ao check out, os principais assuntos englobam tecnologia, displays, equipamentos, materiais POP, arquitetura, iluminação, design e serviços no varejo, um prato cheio para as revistas especializadas e gestores interessados no futuro dos canais.

O gerente nacional de Trade Marketing da Química Amparo, Robinson Formigon, um dos maiores fornecedores dos varejistas e atacadistas brasileiros, estava lá. Para ele, não foram apenas as palestras e expositores que contribuíram para sua reflexão estratégica, as visitas ao varejo alemão – que é caracterizado pelos “hard discount stores” – foram uma grande demonstração de eficiência no ponto de venda e um exemplo para a indústria nacional. Formigon comparou a Euroshop em tamanho à Apas, mas ressaltou que enquanto o papel da Apas é o de integrar fornecedores de bens de consumo aos varejistas, na Euroshop, os fornecedores de soluções é que dominam o evento, sem a participação direta dos fabricantes. A edição 2014 da Euroshop focou em oferecer aos varejistas de todos os setores, inclusive do auto-serviço, condições para desenvolver (sem comoditizar) seus negócios, integrando a web em sua relação com os shoppers de forma mais ampla.

Por Rafael D’Andrea (CEO do Grupo Toolbox)